Bywalkson.carvalho

Palestra com ouvidor da PBH encerra ciclo de debates sobre tecnologia

Na manhã de 11/12 terça feira, auditores e outros servidores do Tribunal de Contas tiveram a oportunidade de participar da última palestra, de um ciclo iniciado no dia 30/08, que vem discutindo temas relacionados a tecnologia, inteligência artificial e os impactos nas instituições, transformação digital, até a discussão de hoje sobre “Estado, Liberdade e o Futuro da Internet”. A palestra, realizada no miniauditório da Escola de Contas, faz parte do programa do TCE “Repensando a Auditoria” e convidou para essa edição, o presidente do Instituto de Defesa da Cidadania e da Transparência – IDCT e ouvidor da Prefeitura de Belo Horizonte, Gustavo Costa Nassif.

A diretora da Escola de Contas, Silvia Ribeiro de Araújo, abriu o evento falando sobre a importância de se discutir esse tema, para que “possamos criar uma humanização no uso das tecnologias”. “Nós pensamos essa palestra para propor uma reflexão sobre como as tecnologias, a internet e os nossos dados, eventualmente, são utilizados e qual o impacto disso em nossas vidas”, comentou, passando posteriormente a palavra ao palestrante.

Gustavo, que já foi diretor da Escola de Contas (biênio 2011/2012), agradeceu o convite e demonstrou grande satisfação em palestrar para os antigos colegas de trabalho. “Toda vez que volto ao Tribunal, as portas se abrem de uma forma diferenciada. Para mim, é uma retribuição agradável voltar aqui nessa casa que me acolheu”, disse o ouvidor e lembrou que “ao mesmo tempo que a internet pode ser muito boa para as nossas vidas, ela também pode ser um grande risco”.

“Pensei em um tema para debater com vocês, algo que pudesse trazer aqui sem nenhuma pretensão mais forte de cientificidade, com dados e estatísticas, mas acima de tudo, vir aqui com um alerta acerca da teia em que estamos inseridos”, disse o ouvidor. “Eu não sou especialista em tecnologia, quero propor aqui uma reflexão de alguém que faz uma crítica, um alerta, daquilo que está posto, sem necessariamente entrar em detalhes, mas eu vou colocar o problema tentando relacionar o Estado, o que nós entendemos por liberdade e qual o futuro da internet”, explicou ele.

O estudioso falou sobre o Estado e seus contextos acerca da comunicação, e também comentou a respeito da liberdade no sentido filosófico e racional. Nassif ainda alertou que a privacidade foi esquecida e instituições, como governo e grandes corporações, estabeleceram uma verdadeira “cyber” guerra para apropriação de informações pessoais, que podem ser usadas para fins geoestratégicos, comerciais ou até mesmo para dominação estratégica.

Fonte: TCEMG

walkson.carvalho editor